domingo, 15 de abril de 2018

REVISÃO I UNIDADE DE GEOGRAFIA


Origem e Evolução da Geografia

Inicialmente, a Geografia foi definida como o estudo da superfície da Terra. O grego Heródoto (484-420 a.C.) é considerado o pai da Geografia e da História. Nessa mesma época, nasceu outro ramo da Geografia, denominado Geografia Geral ou Geografia Matemática, preocupada com a posição da Terra no universo, suas dimensões e representações cartográficas.
No final do século XVIII, Immanuel Kant (1724-1804), considerado o fundador da Geografia Moderna, classificou o conhecimento geográfico como uma das partes principais do conhecimento humano.
A Geografia Física, que engloba o homem, seria um resumo da natureza e a base da história, havendo ainda outras partes no conhecimento geográfico.
No início da Idade Contemporânea, surgiu a doutrina do Determinismo, segundo a qual o homem seria resultado exclusivo das forças da natureza, ou seja, do meio ambiente em que vive. Paralelamente à evolução da New Geography, desenvolveu-se a Geografia Nova ou Marginal. Recebendo influências do socialismo e do terceiro mundismo (movimento anticolonialista nascido em 1955), ela se opôs à New Geography, apontando-a como a Geografia do Imperialismo.
As concepções da Geografia Crítica entraram em confronto com a Geografia Tradicional, criando uma verdadeira guerra política, já que os geógrafos críticos buscavam uma ação transformadora da realidade e uma renovação completa do estudo e do ensino da Geografia. Milton Santos chama a atenção sobre o papel dos Estados nessa construção do espaço geográfico.
A modernização, no entanto, não atinge todos os lugares ao mesmo tempo, seguindo uma lógica que é a do capital, e não a dos interesses da maioria dos homens.
O estudo da Geografia deve obedecer às regras metodológicas dessa ciência. A boa aplicação do Princípio da Extensão faz uso da interdisciplinaridade, recorrendo aos recursos da cartografia, da estatística e da geodésia.

O objeto de estudo da Geografia é o espaço geográfico, o mesmo é divido em: espaço geográfico natural e espaço geográfico cultural ou construído. Em suma, pode-se afirmar que o espaço geográfico é o “palco” das relações humanas, pois o homem habita a superfície e usufrui de tudo que a natureza fornece.

Os impactos do desenvolvimento econômico na construção do espaço geográfico

Podemos considerar que o espaço geográfico, tanto no meio urbano quanto no meio rural é essencialmente produzido, ou seja, é construído pelas práticas humanas. O estabelecimento dessas práticas está, quase sempre, relacionado à manifestação de condutas no meio financeiro e tecnológico que irão sustentar ações de impacto.
Um exemplo dos efeitos econômicos sobre o meio geográfico é a ocorrência III Revolução Industrial que, via “revolução verde”, conseguiu dinamizar e, ao mesmo tempo, mecanizar a produção no campo, o que teve como consequência a ampliação da fronteira agrícola no Brasil e a intensificação do êxodo rural nas sociedades subdesenvolvidas em geral.
A Geografia Econômica é o ramo do conhecimento responsável por compreender a lógica da produção e distribuição das atividades econômicas. Além disso, ela visa entender a influência dessas manifestações produtivas sobre o espaço geográfico e as interferências que o meio realiza sobre elas.

Ponta do Seixas 2008

Ponta do Seixas 2008

Salvar o mundo!

Salvar o mundo!